terça-feira, janeiro 04, 2011

Revolução

Ontem uma menininha, estava com medo de dormir em seu quarto sozinha. Eu perguntei a ela, de que realmente ela tinha medo, ela disse que do escuro. Ai perguntou de que eu tinha medo, eu disse que tinha medo, de altura. Coisa que não é verdade, mas disse apenas para ela se sentir confiante. A verdade, é que não sei de que eu tenho medo, ou na verdade sei, eu tenho medo de mim. Não de mim, mas dos meus pensamentos, do que eu penso sobre as pessoas, do que eu tenho vontade. Acho isso tudo o tanto quanto assustador, confuso. Para tentar, amenizar, um pouco de meus pensamentos ruins, eu mudei.

Andam dizendo por ai, que eu mudei. Que não sou mais como era antes, que não digo mais aquele velho e falso eu te amo, que não sou mais tão carinhosa, meiga, e dócil. Dizem que passei a ser mais ignorante, irônica, dissimulada, pessimista, manipuladora, calculista, fria e sem sentimentos. Dizem que acho graça de tudo, que não demonstro meus sentimentos, que adoro ver o mal das pessoas. Falam que sou 'vacilona' , que 'zou' de todo mundo, com todo mundo. Mas ai, a vida não é para de viver, não é pra se feliz ? Eu cansei de alertar os outros sobre os mal do mundo, e hoje, posso ser considerada um deles. Mas pouco isso me importa, eu sei, que muitas pessoas me conhecem de verdade, e sabem, que na verdade, eu não sou assim!

"Ando devagar, porque já tive pressa, e levo esse sorriso, porque já chorei demais! "

Nenhum comentário:

Postar um comentário