terça-feira, agosto 31, 2010

Dominou os meus sentidos

Sinto um cheio adocicado, inalo toda a sua energia, isso me faz sorrir. Mas sorriria se você estivesse aqui. Continua a andar pela rua, o perfume vai se tornando evidente. Folhas secas caem ao meu redor com a brisa fria que me intristece. O sol já esta se pondo, e eu continuo caminhando. O perfume, começa a não só tomar conta do meu oufato, mas também de todos os meus sentidos e meu corpo. Minha mente avista um banco, mas sei que ele não existe, minha mente é traidora, me disperce a todo instante. Viajo por entre meus pensamentos, e percebo que o que eu visualizava mentalmente, havia tomado realidade. Me aproximo para saber de que se trata, mas temo em ser algo que não quero ver, não queira saber. Meu pulço acelerou, minha respiração tornou-se ofegante, e meus passos lentos. Não sei se devo me chegar mais perto, mas minha curiosidade fala mais alto. Me traspaço pelas árvores ao redor, e o barulho das folhas se quebrando me causam terror. Resolvo que devo chegar perto. Tão perto, que avisto você, mas com alguém do lado, tenho lágrimas, mas elas não conseguem cair. Meu ódio é mais do que tudo. Chego perdo de você, para logo falar de minha dor, e vejo, que ao teu lado, quem estava era eu. E que para todo sempre ei de ficar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário