sexta-feira, setembro 17, 2010

A vida ...

As vezes, agente se desepciona, com o que agente achava que era verdade, e não era. As vezes, agente se sente sozinho, porque nossos supostos amigos, não se preocuparam com agente. Ai vem a solidão, a depreção, o sentimento de isolamento e as lagrimas. Os olhos vivem vermelhos, os risos são raros, os mometos felizes são básicos, os abraços são dispensáveis, ou melhor, dispensados. Tudo parece esta distante, e você em uma órbita diferente. Você tem coisas para dizer, mas não tem em quem confiar. O choro toma conta de suas tardes, depois de suas, noites, e por final de seus dias. Ninguém percebe que alguma coisa está diferente com você, quando percebe, não fala nada, ou pergunta e se contenta com um apenas, tá tudo bem. Sua mente é um emaralhado de sentimentos, e você acaba se sentindo culpada, por algo que não teve culpa. Seu maior confidente é um caderno velho, ou um computador, e quem sabe um blog. Mas não é a mesma coisa, que ter alguém pra quem pegar o telefone, em uma tarde tediosa, e contar tudo o que tem vontade, chorando e rindo, e saber que a pessoa no final ja ta de saco cheio de te escutar, mas ta ali, te dando atenção. Um dia você esta feliz, outro triste. Não sabe o que quer, o que tem vontade. Parece que deixa de ser conhecer. O mundo te assusta, mas bem que você queria que ele prestace atenção em você. Essa é a tão alucinante e assuatadora vida, hora boa, hora ruin, mais pois sim, vida. Viveis bem, para que o arrependimento não tomais conta de sua mente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário